domingo, 28 de novembro de 2010

LOUVOR PARA DOMINGO 28/11/2010

video

Nasci pra vencer

Não posso deixar, meu sonho se perder
Me esquecer das promessas
Desistir sem lutar, deixar de ser um vencedor
Vou acreditar, Deus tem o melhor pra mim, eu sei
Vou lutar pra vencer,não olhar para trás
Transpor barreiras, eu vou conquistar o impossível

Nasci pra vencer, vou acreditar
Que os sonhos jamais podem se apagar
Lutar pra vencer pela fé conquistar
Sou filho de Deus, nasci pra vencer


Nasci pra vencer, vou acreditar
Que os sonhos jamais podem se apagar
Lutar pra vencer pela fé conquistar
Sou filho de Deus,eu nasci pra vencer

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

LOUVOR PARA DOMINGO 21/11/2010

video

Caminho de Milagres

Tudo o que eu fiz foi acreditar
Eu ouvi Tua voz e obedeci

Como pude então ter chegado aqui
Eu não posso crer que é o fim
Dizem: onde está o teu Deus?
Me perguntam o que fazer

Quando o que era difícil
 Se torna impossível
Deus começa a agir
Ele abre sempre uma porta
Onde não há saída
O impossível faz acontecer

O impossível ele faz
Ele faz um caminho de milagres pelo mar

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

GRUPO DE ADOLESCENTES RESGATE

NASCE MAIS UM GRUPO NA ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE:
GRUPO DE ADOLESCENTES RESGATE
.
VOCE JOVEM QUE TEM ENTRE 12 E 15 ANOS VENHA FAZER PARTE DESTE GRUPO.
VAMOS LOUVAR A DEUS, ESTUDAR A PALVRA DE DEUS E CRESCERMOS JUNTOS NA PRESENÇA DO SENHOR.
.
CONTAMOS COM VOCE!

CONGRESSO GRUPO DE IRMÃS - RESGATE

O GRUPO CIRCULO DE ORAÇÃO NOVA JERUSALEM: CONVIDAM A TODOS OS AMADOS IRMÃOS E IRMÃS A ESTAREM LOUVANDO A DEUS NOSSO SENHOR JESUS CRISTO EM MAIS UM CONGRESSO DO GRUPO. LOCAL: IGREJA SEDE RESGATE DATA: 10, 11 E 12 DE SETEMBRO DE 2010 CONTAMOS COM A PRESENÇA DE TODOS. FIQUEM NA GLORIOSA PAZ DO SENHOR JESUS!

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Torre de Babel – Gn 11:5-9
Torre O termo Torre, do latim turris, significa uma estrutura alta, de arquitetura ou engenharia, em que a altura é bastante superior à largura apresentando uma determinada verticalidade. Pode ser edificada para diversos fins como defesa, comemoração ou otimização de espaço.
A Torre de Babel Desde o princípio, Deus tem a intenção de que o povo tenha união, e fale literalmente a mesma língua. A separação da humanidade começa em Caim e Abel, onde o simples fato de serem diferentes um do outro decide o fim trágico de um dos segmentos. Caím, tomado pela inveja e decepção ao perceber que a atitude de Abel agradava à Deus, matou seu irmão. Foi o primeiro assassinato registrado na Bíblia. Percebemos na Bíblia que os homens tinham uma única língua, porem não se entendiam, não caminhavam para um propósito comum. Na verdade, não tinham sequer esse propósito. Prossegue, após Caim, a criação de Deus, e as escrituras revelam que a maldade do homem aumenta, a ponto de Deus não mais suportar. Gn 6.5. A Bíblia não relata, porem imaginemos quão terrível foi a maldade da humanidade, a ponto de Deus aniquilar praticamente toda a criação viva. Gn 6.11 anuncia o povo corrompido e a terra cheia de violência. Registra exclusivamente que o povo estava corrompido “à vista de Deus”. Isso significa que provavelmente aos olhos humanos estava tudo normal, estava tudo do jeito que eles bem queriam, mas se consultassem ao Senhor, perceberiam com clareza o estado espiritual degradante que tanto ofendia à Deus.Todos conhecemos a história do dilúvio e da arca de Noé. O fato é que fomos criados para ter unidade, e a comunicação é a ferramenta que leva à tal unidade, porém a humanidade desde os primórdios encontrou-se em dificuldade para se comunicar. Gênesis 11.1 relata que toda a terra tinha apenas uma linguagem, e apenas uma maneira de falar. Alguns se confundem ao ler Gênesis 10.5, onde a bíblia relata que os descendentes de Noé se dividiram em nações conforme suas línguas, porém esse fato isolado leva-nos a crer que houve um anacronismo.“autor de Gênesis, Moisés, viveu muitos anos depois dos fatos narrados naquele livro. Então, no momento em que escrevia o capítulo 10, já sabia muito bem a respeito da divisão das línguas. Já sabia sobre a descendência de Noé e suas divisões conforme suas línguas. Então, usou desse conhecimento ao escrever o capítulo 10, embora, só no capítulo 11 é que ele fosse explicar como as línguas se dividiram. Então, no capítulo 10 ele fala do que aconteceria àquela descendência muito tempo depois. Isso acontece algumas vezes na bíblia. O autor adianta alguma informação e isso fica parecendo um erro. Segundo a narrativa bíblica no Gênesis, a Torre de Babel foi uma torre construída por um povo com o objetivo que o cume chegasse ao céu, para que não fossem espalhados sobre toda a terra. Deus parou este projeto ao confundir a sua linguagem e espalhar o povo sobre toda a terra. Esta história é usada para explicar a existência de muitas línguas e raças diferentes. A localização da construção teria sido na planície entre o Rio Tigre e Eufrates, atual Iraque, uma região estrategicamente boa por ser muito fértil. Tradicionalmente, os povos enumerados no capítulo 10 do Gênesis (a Tabela das Nações) são vistos como tendo-se espalhado pela Terra a partir do Sinar apenas após o abandono da Torre, que é uma explicação da diversidade cultural.
Lições do "Projeto Torre"
A tentativa de edificar "uma torre cujo topo chegue até aos céus", como é descrita em Gênesis 11:1-9, contém muitas informações de valor histórico, mas o seu valor maior está nos princípios revelados sobre Deus e o homem. Considere, pelo menos, estas três lições:
1- Grande nem sempre é bom.
Falamos com orgulho de morar na maior cidade, estudar na maior escola e fazer cirurgia no maior hospital; além de ter a maior casa, o maior carro e até a maior fazenda. Infelizmente, tais padrões, freqüentemente, são aplicados na religião. Algumas pessoas determinam se uma afirmação seja certa ou não pelo número de pessoas que acreditam nela. Elas julgam uma igreja pelo tamanho do seu prédio, a grande variedade de seus programas e a multidão de membros. Alguns até supõem que o crescimento de uma igreja necessariamente prova que Deus está com ela e que ele aprova as suas obras. O projeto torre na planície de Sinar era um grande empreendimento. Pode ser que envolveu toda a humanidade e os planos eram, de fato, visionários. Mas, Deus não o aprovou. O projeto estava errado por, pelo menos, dois motivos:
1- Foi o produto de ambições humanas e teve como alvo o engrandecimento do homem e não a glória de Deus. 2-Foi projetado para conseguir um alvo oposto à vontade de Deus. Deus havia dito: "Sede fecundos, multiplicai-vos e enchei a terra" (Gênesis 9:1). O propósito explícito de construir a torre foi: "para que não sejamos espalhados por toda a terra" (Gênesis 11:4).
Ajuntar cristãos em congregações maiores e construir prédios grandes não está errado se podemos mostrar que isso resultará na salvação de mais almas, ou a transformação de mais pessoas na imagem de Cristo; mas fazer tais coisas para tornar "célebre o nosso nome" é certamente uma abominação diante de Deus, como foi a torre de Babel. No primeiro século, a evangelização foi facilitada pela dispersão da igreja de Jerusalém e o mesmo método geralmente é o mais eficaz hoje. Não esqueçamos da instrução de Jesus: "Ide por todo o mundo" (Marcos 16:15).
2- A união e a cooperação nem sempre são desejáveis.
O entusiasmo das pessoas no "Projeto Torre" se torna evidente pelas próprias palavras delas. Podemos quase sentir o ânimo de ter tantas pessoas unidas e cooperando no esforço. Devem ter falado: "Não é maravilhosa esta comunhão?" Deus não a considerou maravilhosa! Ele teria ficado contente se alguém tivesse perturbado aquela união — se alguém tivesse se levantado para objetar, os relembrando das instruções de Deus. Se tais objeções não tivessem conseguido mudar as idéias do povo, Deus teria ficado contente com a decisão de um ou mais a ir embora, se dissociando dos seus irmãos. Alguém, pela fé, devia ter ouvido Deus dizendo: "Retirai-vos do meio deles, separai-vos". Mas, ninguém escutava. Deus deseja união, sim, mas somente na verdade. Ele quer cooperação, é claro, mas somente em fazer a vontade dele. Verdadeira união e cooperação não exigem proximidade física. Não temos que sentar-nos na mesma plataforma ou escrever pelo mesmo jornal para termos comunhão com Cristo. Aqueles povos antigos em Gênesis teriam cooperado com Deus e um com o outro se tivessem partido por caminhos diferentes para encher a terra, fazendo a vontade de Deus. Essa teria sido comunhão agradável— aquela boa e doce comunhão em fazer a vontade de Deus que é tão desejável. Mas, de fato, eles se uniram em rebelião e cooperaram para a glória do homem; de tal unidade Deus nunca se agradou.
3- A vontade de Deus será feita.
Essas pessoas não obedeceram voluntariamente as instruções de Deus para encher a terra. Mas a vontade de Deus foi feita. Quando Deus confundiu a língua deles, ele "os dispersou dali pela superfície da terra" — exatamente o resultado que eles procuraram evitar. A vontade de Deus foi feita, mas eles não receberam nenhuma bênção. Se nós falharmos em levar o evangelho para o mundo inteiro, a vontade de Deus de algum modo ainda será feita. Como Mordecai disse a Ester: "Porque, se de todo te calares agora, de outra parte se levantará...socorro e livramento, mas tu e a casa de teu pai perecereis" (Ester 4:14). Aqueles que ouvem o evangelho podem o rejeitar e recusar a reconhecer Jesus agora, mas um dia eles o reconhecerão. "Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai" (Filipenses 2:9-11). Portanto melhor é fazer a vontade de Deus agora, voluntariamente para a recompensa que ele tem prometido, do que sermos forçados contra a nossa vontade.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

CONGRESSO DOS VARÕES RESGATE

O GRUPO VALENTES DE DAVI CONVIDAM A TODOS OS AMADOS IRMÃOS E IRMÃS A ESTAREM LOUVANDO A DEUS NOSSO SENHOR JESUS CRISTO EM MAIS UM CONGRESSO DO GRUPO. LOCAL: IGREJA SEDE RESGATE DATA: 06, 07 E 08 DE AGOSTO DE 2010 CONTAMOS COM A PRESENÇA DE TODOS. FIQUEM NA GLORIOSA PAZ DO SENHOR JESUS!

terça-feira, 29 de junho de 2010

CONGRESSO JUVENIL RESGATE

MAIS UM ANO ! MAIS UM CONGRESSO! NESTA SEXTA E SÁBADO 02 E 03/07/2010 ÁS 19:30 HS. CONTAMOS COM A PRESENÇA DE TODOS!! LOCAL: IGREJA SEDE RESGATE

quarta-feira, 26 de maio de 2010

NOVO LOGO GRUPO JUVENIL

quarta-feira, 14 de abril de 2010

LOUVOR DO JUVENIL PARA 18 / 04 / 2010 - DOMINGO

video
Terremoto - Eyshila
Seja qual for o teu problema, amigo Eu te convido a adorar comigo Porque toda vez que um louvor Alcança o trono do Senhor Um terremoto vem anunciar Que sempre vale a pena adorar A prisão não é eterna, vai passar E quem crê jamais desiste de cantar Porque toda vez que uma canção É transformada em oração Um terremoto vem anunciar Que sempre vale a pena adorar Um terremoto vai acontecer aqui E as cadeias que me cercam vão cair Quando não há o que fazer E é muito forte a minha dor Levanto as mãos pro céu e louvo ao senhor À meia noite cantarei uma canção Tão alto que os prisioneiros ouvirão Um terremoto vai acontecer e o inimigo vai ceder Porque não há cadeias onde há adoração Aleluia...(9x) Porque não há cadeias Porque não há cadeias Porque não há cadeias onde há adoração

segunda-feira, 5 de abril de 2010

LOUVOR DO JUVENIL PARA 11/04/2010 - DOMINGO

video

Deus Vem Me Socorrer

O sol já se pôs, a dor não se foi O que é que eu vou fazer Cansei de chorar, cansei de sofrer Eu quero ver o sol brilhar trazendo esperança Para o meu viver Deus vem me socorrer, estende a Tua mão Derrama azeite em mim, sara meu coração Deus faz me reviver, em meio à provação Revela o teu poder a mim, O milagre que eu preciso está em ti Sim eu sei que o meu Redentor vive E por minha causa se levantará Filho estou aqui Estendo a minha mão Eu vim cuidar de ti Sarar teu coração Te faço reviver em meio à provação Sinta agora o Meu poder Se precisas de um milagre estou aqui

terça-feira, 30 de março de 2010

PENTATEUCO

GENESIS

Todos os livros do Pentateuco [Genesis, Êxodo, Levi tico, Números e Deuteronômio] foram escritos por Moises por volta do ano de 1450 a 1410 A.C.durante os 40 anos no deserto.
A pergunta que todos fazem é esta:
Como Moises escreveu o Genesis se ele não tinha nascido ?

Existem duas teorias para explicar esse fato.

1-DEUS revelou o Genesis a Moisés durante os 40 dias no monte.

2-Deus revelou somente a criação, as outras historias Moisés teve acesso devido à cultura dos egípcios, sendo que DEUS o inspirou a escrever essas historias, como e o caso de Mt 2-23.

Explicitamente não encontramos referencias que Moises escreveu o livro do Genesis, porem a bíblia nos mostra que Moises escreveu a lei do Senhor Ex 17-14, 24- 4, 7,34-27, Nm 33- 1, 2, Dt 31-9, Js 22-5,1 reis 2-3 Neemias 8-1 Dn 9-11,13.
Jesus em Lc 24-44 ele se refere ao antigo testamento, chamado pelos judeus de Tanak por causa das iniciais, leis profetas e escritos.
Leis       => Torah
Profetas => Neviim
Escritos = > Ketuviim

Então se a bíblia afirma que Moises escreveu a lei [Torah hb. e Pentateuco gr.] ele escreveu os 5 primeiros livros da bíblia, pois Genesis faz parte da Torah.

ÊXODO

o segundo livro de Moisés trata acerca da saída do povo hebreu do Egito, apos a exaltação de José no Egito, todos os seus familiares descem para morar com ele na terra de Gosen, o melhor lugar do Egito.
O cap. 1 narra que apos a morte de faraó, se levantou um outro que não conhecia a José e que começou a oprimir o povo de DEUS como escravos. A bíblia não diz mas o midrash revela que um certo dia , faraó saiu ao campo e começou a fabricar tijolos,todo o povo ao observar o trabalho de faraó,saiu ao campo para o ajudar naquele dia alegre, quando estava findando o dia , faraó deu uma ordem para contar a quantidade de tijolos fabricados ,e que a partir daquele dia esta seria a meta a ser batida pelos filhos de Israel, e o povo que era amigo ,passou a ser escravo.

LEVITICO

Trata a respeito dos filhos de Levi, cuja função era o Sacerdócio e o louvor a DEUS.
A partir de Jacó, mais precisamente de seus filhos que surgiram as 12 tribos de Israel, desses 12 filhos, 2 não receberam o seu nome como herança, são eles, JOSÉ e LEVI, indiretamente ou diretamente, José acabou por ser privilegiado, embora seu nome não estava entre as 12 tribos de Israel, seus 2 filhos chamados Manasses e Efraim, acabaram recebendo parte na herança, levando por esse lado, somente Levi acabou por não receber parte na herança, porque o SENHOR é a herança deles, Dt 10-8, e Levi foi a única tribo a ser repartida [tirando manasses], por causa da necessidade de sacerdotes em todo o israel.

NÚMEROS

Gr arithmoi, dai vem a palavra aritmética, recebe esse titulo por causa dos dois censos realizados nesse livro, o primeiro no cap. 1, no segundo ano do povo próximo ao Sinai e o segundo no cap. 26, 39 anos após, próximo ao Jordão, levando aproximadamente 39 anos para ser escrito.

DEUTEURONÔMIO

Hb devarim, segunda lei, uma repetição das leis anteriores para relembrar e preparar o povo para entrar na terra de Canaã, em seu último capítulo trata a respeito da morte de Moisés, no qual foi relatada por Josué conforme diz Js 24-26



TEORIAS DA INSPIRAÇÃO BÍBLICA

INSPIRAÇÃO DA BÍBLIA


Existem 6 teorias a respeito da inspiração da bíblia

1- Inspiração dinâmica
Acredita-se que não ha diferença em essência e sim em grau, ou seja, o Espírito Santo inspirou todos os livros da bíblia porem uns mais profundos que outros ex: proféticos muito inspirados, históricos pouca inspiração.


2-Ditado ou mecânica
Acredita-se que os escritores foram meros amanuenses do Espírito Santo

3-Natural ou intuição
Acredita-se que os escritores da bíblia foram homens com discernimento superior, e assim como músicos, artistas e pintores fizeram obras das quais nunca foram superadas, assim foram as obras deles.

4-Mística ou iluminação
Acredita-se que cada crente tem a sua iluminação uns mais que os outros, sendo assim qualquer um pode escrever um livro da bíblia, basta ser iluminado.

5-Inspiração dos conceitos
Acredita-se que DEUS deu a idéia e não as palavras, uma espécie de redação.

6-Verbal plenária
Acredita-se no poder inexplicável do Espírito Santo.

quinta-feira, 25 de março de 2010

LOUVOR DO JUVENIL - 28/03/2010 - CULTO DE MISSÕES

Bendito Serei


Se atentamente ouvir a Deus
E os mandamentos seus obedecer
O Senhor meu Deus me exaltará
Sobre todas as nações onde eu passar


Eu não correrei atrás de bençãos
Sei que elas vão me alcançar
Onde eu colocar a planta dos meus pés


Sei que a tua benção chegará
Bendito serei na terra, bendito serei
Quando eu profetizar, sei que a minha voz
Será a voz de Deus


Bendito serei no campo, bendito serei
Por onde eu passar, onde eu tocar
Abençoado será, quando eu obedecer a Sua voz

sexta-feira, 19 de março de 2010

LOUVOR DO JUVENIL PARA 21/03/2010 - DOMINGO

Foi Na Cruz


Oh, quão cego eu andei e perdido vaguei
Longe, longe do meu Salvador
Mas da glória desceu e Seu sangue verteu
Pra salvar um tão pobre pecador


REFRÃO:
Foi na cruz, foi na cruz
Onde um dia eu vi
Meus pecados castigados em Jesus
Foi ali, pela fé, que meus olhos abri
E agora me alegro em Sua luz


Eu ouvia falar dessa graça sem par
Que do céu trouxe-nos Jesus
Mas eu surdo me fiz, converter-me não quis
Ao Senhor que por mim morreu na cruz


[REFRÃO]
Mas um dia senti meus pecados e vi
Sobre mim o castigo da lei
Mas depressa fugi, em Jesus me escondi
E refúgio seguro nEle achei


[REFRÃO]
Oh, que grande prazer inundou o meu ser
Conhecendo esse tão grande amor
Que levou meu Jesus ao sofrer lá na cruz
Pra salvar um tão pobre pecador

quinta-feira, 11 de março de 2010

HITITAS

Império hitita na sua máxima expansão, cerca de 1300 a.C..

Continente: Ásia e África


Capital:  Hattusa

Governo : Não especificado

História

• 1531 aC Conquista do Norte da Babilônia

• Conquista do Império Mitanni junto com os Egípcios

• Babilônios expulsão os Egípcios e os Hititas das terras do Império Mitanni

• Dissolução

Os hititas eram um povo indo-europeu que, no II milénio a.C., fundou um poderoso império na Anatólia central (atual Turquia), cuja queda data dos séculos XIII-XII a.C.. Em sua extensão máxima, o Império Hitita compreendia a Anatólia, o norte e o oeste da Mesopotâmia até a Palestina.
História
Chamavam-se a si próprios hatti, e a sua capital era Hattusa ou Hattusha. Os registros em baixo relevo e relatos da época descreviam os hititas como homens fortes, de estatura baixa, com barbas e cabelos longos e cerrados, possivelmente usados como proteção para o pescoço. Os cavalos eram venerados como animais nobres. Os encarregados de cuidar dos cavalos assumiam notoriedade na sociedade hitita.
Estima-se que os Hititas Indo-Europeus tenham entrado na Ásia Menor por volta do século XX A.C., passando pela região do Cáucaso. O seu Império formou, junto com o Egito e a Babilônia, o trio das grandes potências dos séculos XIII e XIV A.C. (ver C.W.Ceran - O Segredo dos Hititas).
Tal como os antigos egípcios, seus contemporâneos, detinham uma escrita hieroglífica. Sua principal arma eram os temidos carros de guerra com capacidade para três pessoas (um condutor e dois guerreiros, geralmente um deles utilizando um arco), uma inovação frente aos carros de guerra de 2 pessoas utilizados tradicionalmente por seus vizinhos.
A Batalha de Kadesh é o evento mais famoso da história hitita, quando o Príncipe Hattusilis, tio do Rei Muwatallis atacou de assalto o exército de Ramsés II do Egito nas proximidades da cidade de Kadesh. A dramática batalha (segundo relatos egípcios, o próprio faraó precisou usar a espada para salvar sua vida) terminou sem vencedores, mas ambos os lados reivindicaram a vitória. A batalha é ricamente detalhada em escrituras egípcias, e a descoberta dos sítios hititas na Turquia confirmaram o trunfo hitita sobre o Egito.
Depois da Batalha de Kadesh, os hititas se envolveram em uma guerra civil que esfacelou o império. Logo após a guerra, os hititas incendiaram Hattussa e fugiram para uma região desconhecida. Até hoje não se sabe qual foi o destino dos hititas. O imo do poderio hitita, bem como seu brio, havia sido deixado de lado quando as cidades mais poderosas de seu império foram devastadas em guerras civis e abandonadas por seu próprio povo, os hititas que antes nunca haviam sofrido uma derrota, tornaram-se alvo fácil para os povos do mar, sem suas capitais bélicas, o restante do império foi devastado por indo-europeus, conhecidos como povos do mar.
Os hititas também venceram outras grandes batalhas, e eram grandes inimigos dos gregos. Durante o apogeu do império, os hititas saquearam a cidade-estado da Babilônia, arrebataram cidades dos hurritas, e Alepo do Egito. Na Ásia Menor, não havia povo tão evoluído quanto os hititas que, em sua cultura, assimilaram a tudo dos antigos povos que ali viviam, conhecidos como seus ancestrais, os hattis, bem como mantinham grande comunhão com Troia, cidade na qual alguns estudiosos afirmam que, na época, pagava tributo a suserania hitita.

Leis

As leis hititas não incluíam as crueldades mutiladoras do antigo código babilônico, nem do mais recente, assírio. Evidentemente, o desafio à autoridade real recebia uma punição draconiana: a casa do infrator era "reduzida a um monte de pedras" e o criminoso, apedrejado até a morte, junto com a família. Fora disso, a pena de morte era obrigatória apenas para o bestialismo e o estupro, em relação ao qual se fazia uma estranha distinção entre atacar uma mulher casada "nas montanhas", que era um crime capital, ou na casa dela. Neste último caso, se ninguém ouvisse a mulher gritar por ajuda, ela seria condenada à morte, talvez com base na teoria de que ela estaria voluntariamente cometendo adultério.

Os hititas e a Bíblia


A Bíblia se refere aos "hititas" em diversas passagens. Em Gêneses 10:15 (a tabela das nações) há a citação do primeiro antepassado dos hititas, "Hete". Filho de Canaã.
Os hititas são contados desse modo entre os Cananeus. São descritos geralmente como pessoas que viveram entre os Israelitas entretanto possuíam seus próprios reis, e eram suficientemente poderosos para pôr um exército sírio em fuga segundo o registro bíblico. Urias, marido de Betsabá, era hitita segundo a Bíblia (Segundo Livro de Samuel).

Arqueologia

Até fins do séc. XIX, tudo quanto se sabia sobre os hititas provinha de pequenas referências na Odisséia, onde são chamados de khetas, e de algumas passagens do Velho Testamento. Ainda assim, desconhecia-se que essas referências aludiam a um mesmo povo. A descoberta das primeiras ruínas misteriosas, hoje atribuídas aos Hititas, na Turquia, ocorrida em 1839, não sensibilizou a comunidade científica.
Quando o arqueólogo, Henry Sayce, afirmou em 1880 que os heteus do Antigo Testamento eram o mesmo povo que deixou diversos rastros na região da Ásia Menor, a comunidade acadêmica recebeu suas afirmações com descrédito, alcunhando-o de "o inventor dos hititas". A confirmação da teoria de Sayce veio por meio dos esforços de um arqueólogo alemão, Hugo Winckler (1863-1913), cujas escavações em Boghazköy, trouxeram à luz cerca de 10.000 tabletes em escrita cuneiforme, pertencentes aos arquivos dos reis de Khatti.
As primeiras informações mais claras sobre a história Hitita somente foram disponibilizadas por volta da primeira década do século XX e a decifração dos seus Hieróglifos ocorreu por volta de 1946.
Após a morte prematura de Winckler, em 1913, a Sociedade Germânica Oriental confiou a publicação dos arquivos hititas a um grupo de assiriologistas. Um deles, o Prof. Bedrich Hrozný, foi o autor da primeira gramática hitita, e estabeleceu o caráter indo-europeu da estrutura da língua. Coube também a ele traduzir e publicar as duas coletâneas de leis hititas, que tantos esclarecimentos trouxeram sobre a cultura desse povo.

Soberanos

De entre os vários reis de Hatti destacaram-se:

• Hattusilis I

• Hattusilis III

• Muwatallis

• Suppiluliuma (ou Schubiluliuma)

• Mursili II

Esta é uma lista de reis e soberanos hititas (nesitas):

• Hatusil III (12?? - a.C.)

• Mutalu (13??-12?? a.C.)

• Supiluliuma (?)

• Tudalias II (1480-? a.C.)

• Telepinu (?-1650 a.C.)

• Mursil I (?)

• Hatussil I (?)

• Labarna (?)

• Anita (1950-???? a.C.)

• Pitanas (?)

Bibliografia

• O Segredo dos Hititas (A descoberta de um antigo Império) - C. W. Ceran - Editora Itatiaia - Belo Horizonte - 2a Edição 1958;

FONTE DE PESQUISA: Wikipédia, a enciclopédia livre.

VULGATA

Vulgata é a forma latina abreviada de vulgata editio ou vulgata versio ou vulgata lectio, respectivamente "edição, tradução ou leitura de divulgação popular" - a versão mais difundida (ou mais aceita como autêntica) de um texto.
No sentido corrente, Vulgata é a tradução para o latim da Bíblia, escrita entre fins do século IV início do século V, por São Jerónimo, a pedido do Papa Dâmaso I, que foi usada pela Igreja Católica e ainda é muito respeitada.
Nos seus primeiros séculos, a Igreja serviu-se sobretudo da língua grega. Foi nesta língua que foi escrito todo o Novo Testamento, incluindo a Carta aos Romanos, de São Paulo, bem como muitos escritos cristãos de séculos seguintes.
No século IV, a situação já havia mudado, e é então que o importante biblista São Jerónimo traduz pelo menos o Antigo Testamento para o latim e revê a Vetus Latina.
A Vulgata foi produzida para ser mais exata e mais fácil de compreender do que suas predecessoras. Foi a primeira, e por séculos a única, versão da Bíblia que verteu o Velho Testamento diretamente do hebraico e não da tradução grega conhecida como Septuaginta. No Novo Testamento, São Jerônimo selecionou e revisou textos. Ele inicialmente não considerou canônicos os sete livros, chamados por católicos e ortodoxos de deuterocanônicos. Porém, seus trabalhos posteriores mostram sua mudança de conceito, pelo menos a respeito dos livros de Judite, Sabedoria de Salomão e o Eclesiástico (ou Sabedoria de Sirac), conforme atestamos em suas últimas cartas a Rufino. Chama-se, pois, Vulgata a esta versão latina da Bíblia que foi usada pela Igreja Católica Romana durante muitos séculos, e ainda hoje é fonte para diversas traduções.
O nome vem da expressão vulgata versio, isto é "versão de divulgação para o povo", e foi escrita em um latim cotidiano, usado na distinção consciente ao latim elegante de Cícero, do qual Jerônimo era um mestre.
A denominação Vulgata consolidou-se na primeira metade do século XVI, sobretudo a partir da edição da Bíblia de 1532, tendo sido definitivamente consagrada pelo Concílio de Trento, em 1546. O Concílio estabeleceu um texto único para a Vulgata a partir de vários manuscritos existentes, o qual foi oficializado como a Bíblia oficial da Igreja e ficou conhecido como Vulgata Clementina.
Após o Concílio Vaticano II, por determinação de Paulo VI, foi realizada uma revisão da Vulgata, sobretudo para uso litúrgico. Esta revisão, terminada em 1975, e promulgada pelo Papa João Paulo II, em 25 de abril de 1979, é denominada Nova Vulgata e ficou estabelecida como a nova Bíblia oficial da Igreja Católica .

Prólogos da Vulgata

Além do texto bíblico da Vulgata, ela contém prólogos dos quais a maioria foi escrita por Jerônimo. Esses prólogos são escritos críticos e não eram destinados ao público em geral.
O tema recorrente dos prólogos se refere à primazia do texto hebraico sobre os textos da Septuaginta (LXX), em grego koiné.
Entre os mais notáveis prólogos se destaca o Prologus Galeatus, no qual Jerônimo descreve um Cânon bíblico judaico composto de 22 livros. Independente disto, Jerônimo traduziu e incluiu no Antigo Testamento da Vulgata os livros Deuterocanônicos.
O prólogo Primum Quaeritur, de autoria desconhecida, defende a autoria paulina para a carta aos Hebreus.

Prólogos

• Pentateuco

• Josué

• Reis - Prologus Galeatus

• Crônicas

• Esdras

• Tobias

• Judite

• Ester

• Jó

• Salmos (LXX)

• Livros de Salomão

• Isaías

• Jeremias

• Ezequiel

• Daniel

• 12 Profetas (menores)

• Os evangelhos

• Epístolas Paulinas - Primum Quaeritur

Notas

• Salmos (Hebreus)

• Adições de Ester

Fonte de Pesquisa: Wikipédia, a enciclopédia livre

SEPTUAGINTA

Septuaginta é o nome da versão da Bíblia hebraica para o grego koiné, traduzida em etapas entre o terceiro e o primeiro século a.C. em Alexandria.
Dentre outras tantas, é a mais antiga tradução da bíblia hebraica para o grego, língua franca do Mediterrâneo oriental pelo tempo de Alexandre, o Grande.
A tradução ficou conhecida como a Versão dos Setenta (ou Septuaginta, palavra latina que significa setenta, ou ainda LXX), pois setenta e dois rabinos trabalharam nela e, segundo a lenda, teriam completado a tradução em setenta e dois dias.
A Septuaginta foi usada como base para diversas traduções da Bíblia.
A Septuaginta inclui alguns livros não encontrados na bíblia hebraica. Muitas bíblias da Reforma seguem o cânone judaico e excluem estes livros adicionais. Entretanto, católicos romanos incluem alguns destes livros em seu cânon e as Igrejas ortodoxas usam todos os livros conforme a Septuaginta. Anglicanos, assim como a Igreja oriental, usam todos os livros exceto o Salmo 151, e a bíblia do rei James em sua versão autorizada inclui estes livros adicionais em uma parte separada chamada de Apocrypha.
A Septuaginta foi tida em alta conta nos tempos antigos. Fílon de Alexandria e Flávio Josefo consideravam-na divinamente inspirada. Além das traduções latinas antigas, a LXX também foi a base para as versões em eslavo eclesiástico, para a Héxapla de Orígenes (parte) e para as versões armênia, georgiana e copta do Antigo testamento. De grande significado para muitos cristãos e estudiosos da Bíblia, é citada no Novo Testamento e pelos Padres da Igreja. Muito embora judeus não usassem a LXX desde o século II AD (A.D. - A sigla do latim Anno Domini: "Ano do Senhor"; ) recentes estudos acadêmicos troxeram um novo interesse sobre o tema nos estudos judaicos. Alguns dos pergaminhos do Mar Morto sugerem que o texto hebraico pode ter tido outras fontes que não apenas aquelas que formaram o texto massorético. Em vários casos, estes novos textos encontrados estão de acordo com a LXX. Os mais antigos códices da LXX (Vaticanus e Sinaiticus) datam do século IV AD.


Controvérsia


Há controvérsia quanto à veracidade de que a Septuaginta tenha mesmo existido como uma versão pré-cristã do Velho Testamento em grego, pois nunca foi encontrada nenhuma versão do Velho Testamento em grego datando antes de Orígenes (185 — 253 d.C)

Mesmo Dr. Jones e Dr. Silva, defensores da Septuaginta e escritores do prominente livro Invitation to Septuagint (Convite à Septuaginta), expressam, em duas ocasiões, a fragilidade que cerca o assunto[2] :

a) "The reader is cautioned, therefore, that there is really no such thing as the Septuagint" (O leitor é advertido, portanto, que na verdade não existe uma 'Septuaginta')

b) "Strictly speaking, there is no such thing as the Septuagint. This may seem like an odd statement in a book entitled Invitation to the Septuagint, but unless the reader appreciates the fluidity and ambiguity of the term, he or she will quickly become confused by the literature." (Estritamente falando, não existe uma 'Septuaginta'. Esta parece até uma declaração estranha num livro chamado Convite à Septuaginta, mas a menos que o leitor compreenda a fluidade e ambiguidade do termo, ele ou ela irá se confundir rapidamente pela literatura.).


Criação do texto


De acordo com o historiador judeu Flávio Josefo, sábios judeus traduziram a Torah para o grego koiné no séc. III a.C. Outros livros foram traduzidos ao longo dos dois séculos seguintes. Não é claro quando ou onde cada tradução foi realizada. Alguns livros podem inclusive ter sido traduzidos mais de uma vez, configurando diferentes versões e posteriormente revisados. A qualidade e o estilo dos diferentes tradutores também variavam consideravelmente de livro a livro, indo da tradução literal, à de paráfrase e à interpretativa. De acordo com a avaliação de um estudioso "o Pentateuco foi razoavelmente bem traduzido, mas o resto dos livros, especialmente os poéticos, foram em geral mal feitos e contém mesmo alguns absurdos".

A medida que o trabalho de tradução gradualmente progredia e novos livros eram adicionados à coleção, a abrangência da Bíblia grega passou a ficar um tanto indefinida. O Pentateuco sempre manteve a sua preeminencia como a base do Cânon, mas a coleção de livros proféticos (a partir dos quais os Neviim foram selecionados) teve sua composição alterada por ter vários escritos hagiográficos nele incorporados. Alguns dos escritos mais recentes, os chamados anagignoskomena, em grego, não estão incluídos no Cânon judaico. Dentre estes livros estão os Livros dos Macabeus e o Eclesiástico. Além disso, a versão da LXX de algumas obras, como o Livro de Daniel e o Livro de Ester, são mais longos do que aqueles encontrados no texto massorético. Alguns livros posteriores, como o Livro da Sabedoria, II Macabeus, entre outros, aparentemente já foram compostos em grego e não em hebraico.

A autoridade do grupo mais extenso de "escritos", a partir dos quais se formou o ketuvim, ainda não havia sido determinada, apesar de que algum tipo de processo seletivo deve ter sido empregado, uma vez que a LXX não inclui outros documentos judaicos bem conhecidos como o Livro de Enoque, o Livro dos Jubileus e outros escritos que atualmente são parte da Pseudepigrafia. Não é sabido quais foram os critérios usados para determinar o conteúdo da LXX além da "Lei e dos Profetas", expressão usada muitas vezes no Novo Testamento.


Nome e designação


A Septuaginta tem seu nome vindo do latim Interpretatio septuaginta virorum (em grego: ἡ μετάφρασις τῶν ἑβδομήκοντα, transl. hē metáphrasis tōn hebdomēkonta), "tradução dos setenta intérpretes". A palavra septuaginta significa "setenta" em latim (daí a abreviação LXX).

O título latino se refere ao relato legendário contido na pseudepigráfica Carta de Aristeias em que o rei do Egito Ptolomeu II Filadelfo pede a setenta e dois sábios judeus que traduzam a Torah para o grego, com o fim de incluí-la na Biblioteca de Alexandria.

Uma versão posterior da lenda, narrada por Fílon de Alexandria, afirma que apesar de os tradutores terem sido mantidos em salas separadas, todos eles produziram versões idênticas do texto em setenta e dois dias. Apesar desse relato ser historicamente implausível, sua redação traz à tona e desejo dos sábios judeus da época de apresentar a tradução como divinamente inspirada. Uma versão desta lenda é encontrada no Tratado Megillah do Talmude Babilônico (páginas 9a-9b), que identifica especificamente quinze traduções pouco usuais feitas por eruditos. Somente duas dessas traduções são encontradas no texto da LXX que chegou até nós.


Edições impressas


Todas as edições impressas da Septuaginta são derivadas de três antigas cópias.


• A Editio princeps é a Bíblia Poliglota Complutense, baseada em manuscritos atualmente perdidos, é considerada bastante próxima aos mais antigos manuscritos


• A edição aldina publicou-se em Veneza em 1518. O texto aproxima-se mais do Codex B do que do complutense. O editor não os especifica que manuscritos usou. Foi reimpressa diversas vezes.


• A edição mais importante é a romana ou sistina, que reproduz exclusivamente o Codex Vaticanus Foi publicada pelo Cardeal Caraffa, com a ajuda dos vários peritos, em 1586, autorizado pelo Papa Sisto V, para ajudar nas revisões em preparação da Vulgata Latina, requisitada pelo Concílio de Trento. Transformou-se num repositório de textos do Antigo Testamento grego e teve muitas edições novas, tais como o de Holmes e de Pearsons (Oxford, 1798-1827), e as sete edições de Constantin von Tischendorf, que se publicaram em Leipzig entre 1850 e 1887, sendo que os últimos dois, publicou-se após a morte do autor na revisão da Nestle, e as quatro edições do Henry Barclay Swete (Cambridge, 1887-95, 1901, 1909), etc;


• A edição de Grabe foi publicada em Oxford, 1707 a 1720, e reproduzida, de maneira incompleta no Codex Alexandrinus de Londres. Para edições parciais, veja Vigouroux, “Dict. de la Bible”, sqq 1643.


Fonte de Pesquisa: Wikipédia, a enciclopédia livre.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

GRUPO JUVENIL CRESCENDO COM CRISTO

VOCE É NOSSO CONVIDADO, TEMOS UM ENCONTRO MARCADO COM DEUS!!! CULTO DO GRUPO JUVENIL DIA: 27/02/2010 HORÁRIO: 19:30 HS LOCAL: IGREJA SEDE ASSEMBLEIA DE DEUS RESGATE Rua Francisco Pinheiro de Sepda, 190 LOUVOR - ADORAÇÃO - PALAVRA CONTAMOS COM A PRESENÇA DE TODOS! FIQUEM NA GLORIOSA PAZ DO SENHOR JESUS!

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

LOUVOR DO JUVENIL PARA 14/02/2010 - DOMINGO

video

PensamentosBanda Milla

Se eu pudesse eu queria ir ao mar
E saber as profundezas que ele tem
Eu queria ir ao espaço, pra saber que altura tem
Da terra até chegar aos altos céus
Eu queria passear lá em naim
E passar uns dias em jerusalem
Mas esses pensamentos, podem ser em vão
O que eu quero mesmo é ver jesusE tocar em suas mãos...

Coro

Imagine como deve ser
Muito lindo o seu olhar
Quando nele estou pensando
Sinto vontade de voarVoar, voar, voar (2x)

Se eu pudesse eu queria ir ao mar

E saber as profundezas que ele tem
Eu queria ir ao espaço, pra saber que altura tem
Da terra até chegar aos altos céus
Eu queria passear lá em naim
E passar uns dias em jerusalem
Mas esses pensamentos, podem ser em vão
O que eu quero mesmo é ver jesusE tocar em suas mãos...

Coro

Imagine como deve ser
Muito lindo o seu olhar
Quando nele estou pensando
Sinto vontade de voarVoar, voar, voar (3x)

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

GRUPO EXERCITO DE CRISTO

NÃO PERCAM !!!
I CULTO DE CONFRATERNIZAÇÃO DO GRUPO EXERCITO DE CRISTO DATA: 20/02/2010 HORÀRIO: 19:30 HS ENDEREÇO: RUA SERRA DE CAXAMBU, 78 - VILA CARMOSINA LIDER: IRMÃ LUCIENE CONTAMOS COM A PRECIOSA PRESENÇA DE TODOS. QUE A PAZ DO SENHOR JESUS REINE EM VOSSOS CORAÇÕES!

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

ENSAIOS E ESTUDOS

A PAZ DO SENHOR JESUS! PARA QUE POSSAMOS OBTER UM MELHOR APROVEITAMENTO, Á PARTIR DE AGORA ESTAMOS DIVIDINDO O JUVENIL APENAS PARA EFEITO DE ENSAIO E ESTUDOS EM: JUVENIL I IDADE: DE 8 A 11 ANOS RESPONSÁVEL: IRMÃ ALDENICE ENSAIOS E ESTUDOS: SÁBADO ÁS 10:30 HS JUVENIL II IDADE: DE 11 Á 14 ANOS RESPONSÁVEL: IRMÃ ROSE ENSAIOS E ESTUDOS: SEXTA FEIRAS ÁS 19:00 HS CONTAMOS COM A PRESENÇA DE TODOS!

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

LOUVOR DO JUVENIL PARA 07/02/2010 - DOMINGO

Quero Me ApaixonarDiante do Trono


Tenho saudades
Saudades de Ti
Minha vontade é
Voltar atrás, onde cai
E recomeçar tudo de novo
E nunca mais deixar
Meu coração se esfriar
Te queroPreciso do Teu calor...

Quero me apaixonar por Ti outra vez
Quero me entregar a Ti mais e mais, Senhor...
Leva-me de volta ao meu primeiro amor.

Tenho saudades
Saudades de Ti
[Saudades de Ti, Jesus]
Minha vontade é
Voltar atrás, onde cai
E recomeçar tudo de novo
E nunca mais deixar
Meu coração se esfriar
Te quero
Preciso do Teu calor...

Quero me apaixonar por Ti outra vez
Quero me entregar a Ti mais e mais, Senhor...
Leva-me de volta ao meu primeiro amor.

Leva-me de volta
Mostra-me, revela-me aonde eu cai
E me afastei de Ti, Jesus
Preciso de Ti, Jesus
Perdoa-me, restaura-me, Senhor
Eu Te quero
Eu corro para Ti
Eu Te quero
Recebe-me, Senhor

Eu me arrependo, Senhor...
De coração, eu me arrependo...
Eu me arrependo, Senhor...
Senhor Jesus, preciso de Ti
Eu me arrependo, Senhor...
Eu me arrependo Jesus...
Ouve o meu clamor!
Eu me arrependo!
Eu me arrependo, Senhor...
Eu me arrependo, Senhor...

Quero me apaixonar por Ti outra vez
Quero me entregar a Ti mais e mais, Senhor...
Leva-me de volta ao meu primeiro amor.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

LOUVAMOS A DEUS PELA VIDA DE TODOS !!!

EU E A IRMÃ ROSE AGRADECEMOS AO GRUPO JUVENIL CRESCENDO COM CRISTO, A TODA FAMILIA RESGATE E A TODOS IRMÃOS E IRMÃS EM CRISTO, PELAS ORAÇÕES EM FAVOR DA RECUPERAÇÃO DE MINHA AMADA ESPOSA ROSE. MAIS UMA VEZ O NOSSO DEUS BRADOU COM A VITORIA EM NOSSAS VIDAS ! FIQUEM TODOS NA GLORIOSA PAZ DO NOSSO SENHOR JESUS CRISTO E QUE SEUS LARES E FAMILIARES SEJAM ALCANÇADOS PELA INFINITA GRAÇA DESSE NOSSO PODEROSO DEUS !